Jump to content


O tank "indestrutivel" Elephant...vale a pena apostar nele ?


  • Please log in to reply
37 replies to this topic

ricardoKarkassa #1 Posted Apr 16 2015 - 14:44

    Staff sergeant

  • -Players-
  • 14281 battles
  • 276
  • Member since:
    05-04-2014

Gostaria da opnião da galera quanto ao tank Elephant/Ferdinand...

 

Sei que na vida real ele teve problemas quanto a sua construção...falta de metralhadora,peso excessivo,falta de combustivel...etc..mas isso no jogo não tem muita influência,...mas quando ele funcionava a 100% era  capaz de façanhas dignas de Hollywood...

 

Gostaria de saber se no jogo ele faz "feio" ou pode-se investir nele...pois é o proximo e ultimo tank da minha lista de TD´s mas falta muito pra eu compra-lo....então eu gostaria de saber se vale a pena o esforço ou não.

 

Pois a configuração dele na vida real (sua blindagem) era coisa de ficção cientifica...

 

Uma coisa que acho um erro no jogo...e que uma blindagem de um tank alemão de 100 mm é igual a um tank russo de 100 mm...sendo que no caso do Ferdinand/Elephant, a sua blindagem era em aço com alto teor de níquel,e retificada...enquanto que o aço soviético era bem inferior ao aço alemão

 

isso é um erro grotesco,que até entendo por ser um jogo e não um simulador,mas era pra ter um modo de jogo onde isso fosse "concertado"..

 

Pois na vida real era quase impossivel "furar" um Elephant...pois na batalha de Kursk não tinha arma pra isso...só com coquetel Molotov ou artificios parecidos...e se  não me engano até o final da guerra ainda não haviam inventado canhão para furar aquela blindagem...

 

um grande abraço



PzBarkhorn #2 Posted Apr 16 2015 - 15:03

    Major

  • Players
  • 23299 battles
  • 2,192
  • [PZKMR] PZKMR
  • Member since:
    07-02-2011

View PostricardoKarkassa, on Apr 16 2015 - 13:44, said:

Gostaria da opnião da galera quanto ao tank Elephant/Ferdinand...

 

Sei que na vida real ele teve problemas quanto a sua construção...falta de metralhadora,peso excessivo,falta de combustivel...etc..mas isso no jogo não tem muita influência,...mas quando ele funcionava a 100% era  capaz de façanhas dignas de Hollywood...

 

Gostaria de saber se no jogo ele faz "feio" ou pode-se investir nele...pois é o proximo e ultimo tank da minha lista de TD´s mas falta muito pra eu compra-lo....então eu gostaria de saber se vale a pena o esforço ou não.

 

Pois a configuração dele na vida real (sua blindagem) era coisa de ficção cientifica...

 

Uma coisa que acho um erro no jogo...e que uma blindagem de um tank alemão de 100 mm é igual a um tank russo de 100 mm...sendo que no caso do Ferdinand/Elephant, a sua blindagem era em aço com alto teor de níquel,e retificada...enquanto que o aço soviético era bem inferior ao aço alemão

 

isso é um erro grotesco,que até entendo por ser um jogo e não um simulador,mas era pra ter um modo de jogo onde isso fosse "concertado"..

 

Pois na vida real era quase impossivel "furar" um Elephant...pois na batalha de Kursk não tinha arma pra isso...só com coquetel Molotov ou artificios parecidos...e se  não me engano até o final da guerra ainda não haviam inventado canhão para furar aquela blindagem...

 

um grande abraço

 

Ricardo, a blindagem do Ferdinand / Elephant não era invencível. Além disso, o aço alemão não era superior ao aço soviético, ele costumava "rachar" muito facilmente. Segue como exemplo esta foto de um Ferdinand, utilizado pelos soviéticos em testes no pós guerra. Ele foi atingido por um projétil HE de na frente.

 


Edited by PzBarkhorn, Apr 16 2015 - 15:07.


FredyPanzer #3 Posted Apr 16 2015 - 15:06

    Corporal

  • Players
  • 12092 battles
  • 42
  • Member since:
    10-15-2013

Olá companheiro Ricardo.

 

Amigo, com certeza deve ser divertido de jogar com o Ferdinand cara, jogando a média/longa distância com certeza vai parar muito tiro nesta blindagem. Eu jogo nesta linha de TDs alemãs, mas optei por jogar com o JagdPanther II que troca esta blindagem monstra do Ferdinand por mais agilidade. Eu tenho vontade de pegar o Ferdinand, mas to com muita preguiça no momento :teethhappy:.

 

Espero ter ajudado.

PS: Add pra jogarmos umas partidas o/

 

See ya.



IcecreamBR #4 Posted Apr 16 2015 - 15:48

    Sergeant

  • Players
  • 6168 battles
  • 183
  • [OWAR] OWAR
  • Member since:
    08-12-2012
Não, Jpanther 2 é superior na meta atual onde blindagem plana vale nada e mobilidade é tudo

Drackor #5 Posted Apr 16 2015 - 17:22

    Staff sergeant

  • Players
  • 14448 battles
  • 438
  • [-RBO-] -RBO-
  • Member since:
    11-05-2013

View PostPzBarkhorn, on Apr 16 2015 - 11:03, said:

 

Ricardo, a blindagem do Ferdinand / Elephant não era invencível. Além disso, o aço alemão não era superior ao aço soviético, ele costumava "rachar" muito facilmente. Segue como exemplo esta foto de um Ferdinand, utilizado pelos soviéticos em testes no pós guerra. Ele foi atingido por um projétil HE de na frente.

 


Na verdade o aço Alemão era infinitamente superior aos dos soviéticos (os soviéticos não visavam qualidade e sim quantidade e efetividade), o que aconteceu que esse aço alemão começou a ficar escasso e o mesmo foi substituído por aço de baixa qualidade, quando começou a ficar escaço o aço de alta qualidade era utilizado apenas nos tanks de linha de frente como Tigers e panthers (por isso o fernd tinha esse aço ruim) mas no final da guerra com a escassez pior mesmo essas tanks começaram a ser construídos com aço de baixa qualidade como os Kings Tigers...

Abraz!


Edited by Drackor, Apr 16 2015 - 17:23.


Drackor #6 Posted Apr 16 2015 - 17:28

    Staff sergeant

  • Players
  • 14448 battles
  • 438
  • [-RBO-] -RBO-
  • Member since:
    11-05-2013

View PostIcecreamBR, on Apr 16 2015 - 11:48, said:

Não, Jpanther 2 é superior na meta atual onde blindagem plana vale nada e mobilidade é tudo

 

Se esconder o chassi e só mostrar a super estrutura o Jpanther 2 tem uma blindagem muito mais efetiva que o Fernd e se vc fazer isso usando a depressão do canhão o tank fica impenetrável...

PzBarkhorn #7 Posted Apr 16 2015 - 17:41

    Major

  • Players
  • 23299 battles
  • 2,192
  • [PZKMR] PZKMR
  • Member since:
    07-02-2011

View PostDrackor, on Apr 16 2015 - 16:22, said:


Na verdade o aço Alemão era infinitamente superior aos dos soviéticos (os soviéticos não visavam qualidade e sim quantidade e efetividade), o que aconteceu que esse aço alemão começou a ficar escasso e o mesmo foi substituído por aço de baixa qualidade, quando começou a ficar escaço o aço de alta qualidade era utilizado apenas nos tanks de linha de frente como Tigers e panthers (por isso o fernd tinha esse aço ruim) mas no final da guerra com a escassez pior mesmo essas tanks começaram a ser construídos com aço de baixa qualidade como os Kings Tigers...

Abraz!

Os aço alemão começou a perder qualidade à partir de 1943. O processo de produção do aço alemão, o qual era produzido pela Krupp, era caro, demorado e elaborado. Basicamente a composição do aço levava uma liga com os seguintes componentes:

 

- carbono 0.35%

- nickel 3.90%

- chromium 2.00%

- manganêse 0.35%

-  silicio 0.07%

-  phosphorus 0.025%

-  enxofre 0.020%

 

O aço então era "endurecido" através de aplicação de gases carbonizados em uma das faces, enquanto a face contrária retinha uma maior "elasticidade", o que impedia o surgimento de rachaduras e estilhaços quando atingido por projéteis. 

 

Entretanto, como já disse antes, este processo era caro, demorado e elaborado, de forma que, com a Wermacht precisando mais e mais de aço para seus tanques (cada vez maiores e mais blindados), o processo foi sendo cada vez mais simplificado e apressado, resultando em materiais abaixo dos padrões esperados. O aço russo tinha sim, seus problemas, mas não era por causa de dureza excessiva e falta de elasticidade, como o aço alemão: por utilizarem torres feitas pelo processo de moldagem, e por precisarem de uma linha de produção rápida, prezando muito mais a quantidade do que a qualidade, o aço soviético costumava apresentar níveis elevados de porosidade, o que também diminui a eficiência do mesmo para uso como blindagem.

 

 Os primeiros Panther  e Tigers, bem como os Stug e Pz.IV tinham aço de boa qualidade, feitos utilizando-se o processo completo.. Os veiculos construidos de meados de 1943 até 1945, não. Como disse, o aço utilizado nos tanques alemães deste período era muito susceptível a fraturas. Desta forma, mesmo que não houvesse penetração, eram formadas rachaduras e pontos de fragilidade ao redor da área de impacto, tornando a blindagem no local ineficiente. 



ricardoKarkassa #8 Posted Apr 16 2015 - 18:05

    Staff sergeant

  • -Players-
  • 14281 battles
  • 276
  • Member since:
    05-04-2014

PzBarkhorn ...deu pra entender que a galera está bem informada e o nível está bem alto nos comentarios...

 

Eu sou um cara muito pratico...ou seja...não sou muito de detalhar as coisas...

 

Sim...o aço alemão era muito superior ao aço russo...você mesmo viu isso...mas com o colapso da industria alemã a qualidade caiu...

 

Os alemães não desenvolveram os melhores tanks,como muitos podem imaginar,foram suas taticas que fizeram a diferença.

 

O Elephant foi um projeto "desesperado",não foi algo pensado com "calma"...mas se o tivesse sido feito uns 2 anos antes,ai a coisa ia ser diferente

 

Quanto ao tank usada nos testes...ele foi literalmente "moido" nos testes,algo que não aconteceria nas batalhas.

 

Existem relatos de Elephants sendo massacrados na batalha de Kursk e não aconteceu nada com o tank...nem tirou tinta...

 

Ele não tinha a fama de indestrutivel a toa...mas os ultimos tanks,nem blindagem reforçada na dianteira tinham (elas eram parafusadas)...

 

Finalizando...se o Elephant fosse projetado 2 anos antes (para poder ser testado com calma) e a industria belica alemã não sofresse o colapso que sofreu...a historia seria outra



Capitao_Desastre_ #9 Posted Apr 16 2015 - 18:49

    Community Coordinator

  • Administrator
  • 8610 battles
  • 582
  • Member since:
    10-14-2013

View PostPzBarkhorn, on Apr 16 2015 - 16:41, said:

Os aço alemão começou a perder qualidade à partir de 1943. O processo de produção do aço alemão, o qual era produzido pela Krupp, era caro, demorado e elaborado. Basicamente a composição do aço levava uma liga com os seguintes componentes:

 

- carbono 0.35%

- nickel 3.90%

- chromium 2.00%

- manganêse 0.35%

-  silicio 0.07%

-  phosphorus 0.025%

-  enxofre 0.020%

 

O aço então era "endurecido" através de aplicação de gases carbonizados em uma das faces, enquanto a face contrária retinha uma maior "elasticidade", o que impedia o surgimento de rachaduras e estilhaços quando atingido por projéteis. 

 

Entretanto, como já disse antes, este processo era caro, demorado e elaborado, de forma que, com a Wermacht precisando mais e mais de aço para seus tanques (cada vez maiores e mais blindados), o processo foi sendo cada vez mais simplificado e apressado, resultando em materiais abaixo dos padrões esperados. O aço russo tinha sim, seus problemas, mas não era por causa de dureza excessiva e falta de elasticidade, como o aço alemão: por utilizarem torres feitas pelo processo de moldagem, e por precisarem de uma linha de produção rápida, prezando muito mais a quantidade do que a qualidade, o aço soviético costumava apresentar níveis elevados de porosidade, o que também diminui a eficiência do mesmo para uso como blindagem.

 

 Os primeiros Panther  e Tigers, bem como os Stug e Pz.IV tinham aço de boa qualidade, feitos utilizando-se o processo completo.. Os veiculos construidos de meados de 1943 até 1945, não. Como disse, o aço utilizado nos tanques alemães deste período era muito susceptível a fraturas. Desta forma, mesmo que não houvesse penetração, eram formadas rachaduras e pontos de fragilidade ao redor da área de impacto, tornando a blindagem no local ineficiente. 


O problema foi que um dos elementos de liga começou a escassear (eu quero dizer que foi o manganês que começou a escassear, mas não tenho certeza), e foi substituído por um outro elemento com maior raio atômico. Isso fez com que a estrutura cristalina do aço tivesse pontos de concentração de tensões na area da rede onde esse átomo se localizava, o que fazia com que a blindagem falhasse nesses pontos.



Cadesh #10 Posted Apr 16 2015 - 21:03

    Staff sergeant

  • Players
  • 10527 battles
  • 397
  • [-RBO-] -RBO-
  • Member since:
    07-26-2013

Gostei dos posts, parabéns. 

O poder de fogo é o mesmo do JP2 e do Ferdinand, entretanto o JP2 é mais rápido sem perder tanto na blindagem, então escolhi o JP2.

Quando escolho o carro coloco como prioridade poder de fogo, mobilidade e blindagem, nessa ordem.

 

Só para contribuir, em Kursk os carros russos com canhão mais poderoso (+122mm) não estavam distribuídos em número tão grande. Na época o Tigre ainda era o topo da cadeia alimentar e a maioria dos canhões de tanques russos era 76mm.



Drackor #11 Posted Apr 16 2015 - 23:20

    Staff sergeant

  • Players
  • 14448 battles
  • 438
  • [-RBO-] -RBO-
  • Member since:
    11-05-2013

View PostPzBarkhorn, on Apr 16 2015 - 13:41, said:

Os aço alemão começou a perder qualidade à partir de 1943. O processo de produção do aço alemão, o qual era produzido pela Krupp, era caro, demorado e elaborado. Basicamente a composição do aço levava uma liga com os seguintes componentes:

 

- carbono 0.35%

- nickel 3.90%

- chromium 2.00%

- manganêse 0.35%

-  silicio 0.07%

-  phosphorus 0.025%

-  enxofre 0.020%

 

O aço então era "endurecido" através de aplicação de gases carbonizados em uma das faces, enquanto a face contrária retinha uma maior "elasticidade", o que impedia o surgimento de rachaduras e estilhaços quando atingido por projéteis. 

 

Entretanto, como já disse antes, este processo era caro, demorado e elaborado, de forma que, com a Wermacht precisando mais e mais de aço para seus tanques (cada vez maiores e mais blindados), o processo foi sendo cada vez mais simplificado e apressado, resultando em materiais abaixo dos padrões esperados. O aço russo tinha sim, seus problemas, mas não era por causa de dureza excessiva e falta de elasticidade, como o aço alemão: por utilizarem torres feitas pelo processo de moldagem, e por precisarem de uma linha de produção rápida, prezando muito mais a quantidade do que a qualidade, o aço soviético costumava apresentar níveis elevados de porosidade, o que também diminui a eficiência do mesmo para uso como blindagem.

 

 Os primeiros Panther  e Tigers, bem como os Stug e Pz.IV tinham aço de boa qualidade, feitos utilizando-se o processo completo.. Os veiculos construidos de meados de 1943 até 1945, não. Como disse, o aço utilizado nos tanques alemães deste período era muito susceptível a fraturas. Desta forma, mesmo que não houvesse penetração, eram formadas rachaduras e pontos de fragilidade ao redor da área de impacto, tornando a blindagem no local ineficiente. 

 

View PostCapitao_Desastre_, on Apr 16 2015 - 14:49, said:


O problema foi que um dos elementos de liga começou a escassear (eu quero dizer que foi o manganês que começou a escassear, mas não tenho certeza), e foi substituído por um outro elemento com maior raio atômico. Isso fez com que a estrutura cristalina do aço tivesse pontos de concentração de tensões na area da rede onde esse átomo se localizava, o que fazia com que a blindagem falhasse nesses pontos.

 

Por isso gosto da participação de todos no fórum, explicou de forma muito mais aprofundada do que eu sabia! Parabéns!

Abraz!

ricardoKarkassa #12 Posted Apr 17 2015 - 02:28

    Staff sergeant

  • -Players-
  • 14281 battles
  • 276
  • Member since:
    05-04-2014

pena que não estou encontrando a fonte..mas vai de cabeça mesmo..

 

se não estou enganado (não confio muito na minha memoria...mas nesse caso vou arriscar..sr.sr) é o niquel que começou a ficar muuuuuiiiiito escaço...acho que vinha da suécia....

 

mas tinha mais um detalhe que não compreendi na época e ainda não achei uma razão da melhoria da chapa...que era o fato dela ser "usinada"...???

 

nunca entendi a vantagem disso,pois pelo que eu entendo somente era "retirado" material por meios mecânicos...não sei o que isso poderia influenciar na melhoria do material...mas o site que consultei era bem especifico nesse ponto...e ainda comparava o mesmo detalhe com os tanks russos...

 

no detalhe via-se claramente que o aço russo parecia "paçoca"...que era muito facil furar...enquanto que o aço alemão só arranhava...e isso não era propaganda ...era um estudo feito pelos americanos antes do fim da guerra...

 

vou tentar achar e ver se posto aqui

 

um grande abraço galera



Capitao_Desastre_ #13 Posted Apr 17 2015 - 13:57

    Community Coordinator

  • Administrator
  • 8610 battles
  • 582
  • Member since:
    10-14-2013

View PostricardoKarkassa, on Apr 17 2015 - 01:28, said:

pena que não estou encontrando a fonte..mas vai de cabeça mesmo..

 

se não estou enganado (não confio muito na minha memoria...mas nesse caso vou arriscar..sr.sr) é o niquel que começou a ficar muuuuuiiiiito escaço...acho que vinha da suécia....

 

mas tinha mais um detalhe que não compreendi na época e ainda não achei uma razão da melhoria da chapa...que era o fato dela ser "usinada"...???

 

nunca entendi a vantagem disso,pois pelo que eu entendo somente era "retirado" material por meios mecânicos...não sei o que isso poderia influenciar na melhoria do material...mas o site que consultei era bem especifico nesse ponto...e ainda comparava o mesmo detalhe com os tanks russos...

 

no detalhe via-se claramente que o aço russo parecia "paçoca"...que era muito facil furar...enquanto que o aço alemão só arranhava...e isso não era propaganda ...era um estudo feito pelos americanos antes do fim da guerra...

 

vou tentar achar e ver se posto aqui

 

um grande abraço galera

 

É possível que tivesse sido mesmo falta de níquel, minha memória falha nesses detalhes. Quanto à menção de a chapa ser usinada, pode ser que seja por ela ser laminada num dos passos da produção, embora minha memória me diga que a blindagem alemã era endurecida na face como o PzBarkhorn descreveu acima e que a laminagem não tinha assim tanta influência. Se achar o link, coloque aqui, agora fiquei curioso (sou engenheiro de materiais por formação).

Cadesh #14 Posted Apr 17 2015 - 15:44

    Staff sergeant

  • Players
  • 10527 battles
  • 397
  • [-RBO-] -RBO-
  • Member since:
    07-26-2013

Germany suffered supply problems for metal ores such as chrome, tungsten, nickel, molybdenum, and manganese, all of which were needed for hardened steel used in tanks, ships and other war equipment. For example, Germany was almost 100% reliant on imports for chrome, and the loss of South African and Turkish imports along were a blockade to arise would eliminate 80% of imports. Even for manganese, of which Germany supplied 40% of its needs, the expected British blockade would cut its link to its main outside supplier, South Africa...Meanwhile, the Soviet Union was the world's largest source of manganese, the second largest for chrome and platinum and the third largest supplier of crude oil, iron ore and nickel.

Fragmento do tópico "Nazi–Soviet economic relations (1934–41)" da Wikipedia

 

Não entendo de produção de aço, mas sei que há carros que usam blindagem rebitada, onde as placas de aço usinado são presas com parafusos como no Pz 38t, isso deixou de ser usado porque os rebites se soltam com facilidade no impacto de disparos. O segundo modo é soldar as placas de aço usinado, que é como se fazia na torre do Pantera, e a terceira opção era usando moldes, parecido com fabricar sinos de igreja, o que facilita a produção de torres arredondadas como no T-55.

 

Laminar o aço usinado era importante para criar camadas de dureza distinta na blindagem, mas era um processo bem mais caro e provavelmente só era útil a partir de uma certa espessura de blindagem. A ideia do aço laminado é parecida com a ideia de usar vidro laminado em carros civis blindados. Imagino que blindagen laminadas sigam um padrão duro-macio-duro para dispersar a energia do impacto na camada macia enquanto que a terceira camada mantém a integridade do interior do carro.

 

Se falei besteira me corrijam, por favor. 

 

 



ricardoKarkassa #15 Posted Apr 18 2015 - 03:18

    Staff sergeant

  • -Players-
  • 14281 battles
  • 276
  • Member since:
    05-04-2014

fala ai capitão...

 

sou aficcionado por segunda guerra e por mecânica (sou tecnico mecânico),e minha escola tecnica recebeu todo o seu maquinario como espólio de guerra...explico.

 

quando a guerra acabou,os generais tiveram a "brilhante" ideia de pegar como compensação de guerra ,maquinarios usados pela alemanha na sua industria bélica.

 

só que o maquinario não servia para ser utilizado por alunos no aprendizado,até hoje eu lembro que o maquinario era algo "surreal"...existia uma retifica que era coisa de "star war"...e isso em 1991 (escola tecnica estadual visconde de maua),hoje virou faetec...e com isso a gente só ficava olhando pro maquinario...que até hoje pra mim dá um "banho" em muita maquina moderna (nas suas devidas proporções)

 

eu tenho uma pequena fresa da cidade de Dresden,ela está sem motor mais é algo robusto e sem folgas,ainda vou fazer ela voltar a funcionar,para pequenos trabalhos.(sempre achei que ela é da epoca da destruição da cidade...estava toda "queimada" quando a comprei)

 

e como trabalho no ramo farmaceutico,vejo a diferença entre uma maquina alemã e o resto...sim o resto...pois nada se compara com o maquinario alemão (parece fãboy...mas pega uma maquina chinesa,inglesa,argentina...ai quero ver..srs)

 

gosto de estudar mecânica,e no caso do elephant estudo ele a um bom tempo (3 anos ou mais)...ele era pra ser o "super caça tanks"...mas a guerra já estava decidida e a alemanha não tinha mais tempo pra desenvolver nada...se fosse 2 ou 3 anos antes...ai sim ia dar trabalho

 

a parte da usinagem não consegui entender,pois nunca ouvi falar de um aço que depois de usinado fica mais forte ...e na materia o cara nao explicava...só mencionava e mostrava fotos que balisavam o seu ponto de vista...

 

eu vou procurar e ver se consigo achar,pois tenho varios pdf´s sobre segunda guerra...é só procurar..rrsrsrs

 

um grande abraço



Ricardo_ #16 Posted Apr 18 2015 - 19:34

    Sergeant

  • Players
  • 23435 battles
  • 228
  • Member since:
    03-07-2012

depois de nerfarem a camuflagem, view range e mira, não vale a pena jogar de ferdinand, não tem mobilidade, não é mais um bom sniper, você vai ter problemas com tiros sumindo ou caindo no chão, munição gold penetrando você que nem manteiga e quando você piscar os olhos terá um scout ou tank medio tentando te flankear sem você nem perceber a sua presença, muito melhor você ir pelo outro lado da linha com o jagdpanther II

 

na verdade o jogo se tornou muito bom para tanks com mais mobilidade e menos blindagem, tanks com mais blindagem e menos mobilidade são apenas coadjuvantes.


Edited by Ricardo_, Apr 18 2015 - 19:36.


ricardoKarkassa #17 Posted Apr 19 2015 - 17:43

    Staff sergeant

  • -Players-
  • 14281 battles
  • 276
  • Member since:
    05-04-2014

fala ai Ricardo_....vendo por esse lado é algo a ser pensado,mesmo eu sendo fã desse tank.

 

mas como falta muito a ser ganho de experiencia...dá pra pensar bastante.

 

o problema é que sou fã mesmo desse tank...de ter ele em modelo fisico para montar....desenhar ele em 3d no maya....parece coisa de adolescente.

 

o que não entendo é que se o jogo é pra ser somente com tanks da segunda guerra...até onde eu sei,não existia arma terrestre que penetrasse em um Pherdinand/Elephant....

 

Até onde me lembro , somente 1 tank foi realmente "perfurado" em toda sua historia...e pelo que li,ninguem sabia o que tinha perfurado ele...ou seja...o tank era quase "indestrutivel"..

 

achava que o jogo iria respeitar isso...(mesmo sabendo que o WoT não é um simulador)...

 

um grande abraço galera



DCDsTank #18 Posted Apr 19 2015 - 18:45

    Staff sergeant

  • Players
  • 12044 battles
  • 295
  • [MOT] MOT
  • Member since:
    09-07-2012

Ricardo do Hetzer, meu amiguinho =p

Eu sinceramente odeio o JagdPanther, mas já que eu quero completar TODA a linha alemã, eu vou usar o XP do JagdPanther para pesquisar o JagdPanther II. Você poderia esperar mais um pouco e pesquisar o Ferdinand pelo Tiger P. Desse modo, acho que você não vai se arrepender.

Eu sinceramente, não tenho muita experiência com o Ferdinand, pois ele me parece ser um tanque meio raro (com raro eu digo como o Churchill GC ou o Valentine antes da nova linha) e por isso eu não posso dizer se ele é bom ou não, pois nunca tive um. Outro ponto, é lembrar que foi feito com base no chassi do Tiger P que é extremamente OP no tier VII, mas está com uma casamata (que não vira) em um tier VIII, o que pode resultar em uma relação de blindagem/penetração ruim em relação aos canhões russos do IS-3 e outros TDs.



DCDsTank #19 Posted Apr 20 2015 - 22:19

    Staff sergeant

  • Players
  • 12044 battles
  • 295
  • [MOT] MOT
  • Member since:
    09-07-2012
Então a composição do aço é o motivo do canhão do Fury não penetrar o Tiger no filme mas penetrar no jogo?

donnie007 #20 Posted Apr 22 2015 - 20:14

    Corporal

  • Players
  • 13970 battles
  • 33
  • Member since:
    03-17-2011

Olá.. 

Tive apenas 560 partidas com o Ferdinand ( 2anos atras )..tenho uma taxa de 1200 Kill's, média de 2k de dano por batalha e uma taxa de 77% de acerto.

 

Minha Opinião: Gostei muito de jogar com ele, muuito lento quando stock mas quando full se torna um grande TD, rapida taxa de fogo, alta pen, dano alto e muito preciso o canhão. Eu jogava com ele como tanque de primeira linha ( apesar dos varios pontos fracos no seu casco e não ser muito recomendado para TDs..) Poucos conheciam e até mesmo poucos canhôes o perfuravam.

Mas agora com a add de varios modelos de tanques mais modernos e que vem com cada vez mais alta penetração ele já deve ser usado apenas como sniper/apoio.
Na minha opinão ele continua sendo um bom TD sniper mas acho que o JpII é mais útil na partida, devido a sua maior mobilidade. O canhão é o mesmo mas com a diferença gritante de agilidade e desempenho da blindagem inclinada do JpII acho mais vantajoso adquirir este.

Minha opinião. 


Edited by donnie007, Apr 22 2015 - 20:16.





1 user(s) are reading this topic

0 members, 1 guests, 0 anonymous users